Consulte um médico para escolher a pílula que funciona melhor para você

Dicas para prevenção de doenças na cidade
2 de julho de 2020
Prevenção de doenças respiratórias na volta ao trabalho: o que fazer antes, durante e depois do expediente
6 de agosto de 2020
Exibir tudo

Consulte um médico para escolher a pílula que funciona melhor para você

Desde sua criação, a pílula anticoncepcional atravessou gerações e se tornou parte da rotina da maioria das mulheres. Por ter se tornado um hábito tão comum e também um medicamento eficiente e acessível, muitas vezes nos esquecemos sobre a importância de consultar um médico capaz de avaliar a melhor pílula para cada paciente.

Cada mulher é única e seu organismo responde a medicamentos de forma bastante particular. Mesmo entre você e sua irmã, que podem ser fisicamente parecidas, ou entre você e sua melhor amiga, que até podem ter os mesmos gostos, é possível encontrar grandes diferenças em relação aos efeitos para um determinado tipo de pílula.

A pílulas anticoncepcionais são esteroides utilizados isolados ou em associação com a finalidade básica de impedir a concepção. Ela pode ser produzida apenas com progestogênio ou pela combinação de progestogênio e estrogênio. Os diferentes tipos também variam quanto a dosagem desses hormônios, e é justamente nessas diferenças que as pílulas podem causar efeitos colaterais.

 

O segredo é a dosagem

Diz um antigo ditado: “a diferença entre o remédio e o veneno é a dose”. Calma, você não corre o risco de se envenenar ao tomar uma pílula anticoncepcional porque são medicamentos muito seguros. A ideia aqui é apenas mostrar que a chave da pílula perfeita para o seu corpo está na dosagem correta dos hormônios, e só os médicos sabem exatamente quando é necessário aumentar ou reduzir a quantidade de hormônio que seu corpo precisa para funcionar melhor com a pílula.

Para se ter uma ideia, além de ser um eficiente contraceptivo, a pílula também é usada no controle da acne. Mas se a dosagem hormonal não estiver de acordo com seu organismo, pode ocorrer o efeito contrário, ou seja, o aparecimento ou aumento das espinhas. Outra consequência bastante indesejada é o ganho de peso. Hormônios podem estimular o apetite ou até mesmo causar retenção de líquido, o que pode levar a alterações na balança. Sendo assim, não adianta copiar a receita da amiga porque ela pode não ser ideal para você.

Os efeitos colaterais mais comuns

Quando você toma um medicamento que não é o melhor para o seu organismo, há outros efeitos colaterais bastante comuns como dor de cabeça, náuseas, alteração do fluxo menstrual, mudanças de humor, alterações na libido e alguns até mais graves, como o risco maior de desenvolver trombose.  Esses efeitos colaterais podem aparecer nos primeiros meses para quem começa a tomar a pílula e o médico saberá como trocar a medicação sempre que necessário.

Além disso, a consulta com seu médico é obrigatória ao menos uma vez por ano. Muitas vezes, o uso da pílula não é indicado para quem já tratou câncer de mama, teve um derrame ou trombose venosa profunda, mulheres que possuem hipertensão arterial não controlada, com doença vascular, doença cardíaca isquêmica ou diabetes descontrolada. Para mulheres fumantes e com mais de 40 anos o uso da pílula também precisa ser feito sempre com acompanhamento médico.